Você está aqui: HomeNotícias › Notícia completa
14/04/2018 às 13:25
Produtores rurais de Tupaciguara aderem ao protesto realizado pela classe em Brasília

Atendendo ao chamamento da organização do protesto que foi realizado em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, na quarta-feira (04), contra a cobrança retroativa do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural, o Funrural, e pedindo a securitização da dívida do setor. O Presidente Armando Tófolis Rodrigues, sua esposa e demais produtores rurais fizeram parte do grande número de manifestantes de todos os estados, oriundos de cerca de 350 entidades, que se fizeram presentes ao ato reivindicatório.

Segundo o Sindicato Rural de Tupaciguara, muitos produtores deixaram de pagar o imposto quando, depois de uma longa batalha judicial, em 2011, o Supremo Tribunal Federal decidiu que sua cobrança era inconstitucional.

No entanto, afirmam os produtores, no ano passado, a corte voltou atrás e o que não foi pago entre 2011 e 2017 passou a ser cobrado pelo governo. Foi criado, inclusive, o Refis Rural, para que os produtores pagassem o que o governo diz que é devido.

Agricultores e pecuaristas alegam que o imposto é inconstitucional e que ele sobrecarrega os custos do campo. A alíquota do Funrural varia entre 1,5% e 2,85% do total da produção.

No dia 03, Congresso derrubou vetos do presidente Michel Temer (MDB) e permitiu o desconto de 100% do valor da multa – uma renúncia de 10 bilhões de reais, de acordo com a Receita. No Refis, o saldo devido poderá ser parcelado em 176 vezes, depois de uma entrada no total de 2,5% do valor total da dúvida.


Produtores rurais também desejam a securitização para o alongamento da dívida de produtores rurais com instituições financeiras 

 

Segundo informações levantadas, hoje o valor total dessa dívida seria de 280 bilhões de reais ou 51% de toda a produção agropecuária brasileira – sem contar outros tipos de financiamento, como os que podem ser disponibilizados por tradings agrícolas. O total corresponde a 4.700 reais por hectares produtivos no país.

Segundo o Presidente do Sindicato Rural de Tupaciguara, Armando Tófolis Rodrigues, “Os produtores terão que pagar 4.700 reais por hectare de produção do país. É impossível pagar essa dívida sem a securitização. Não só os produtores rurais de Tupaciguara, como também de todo o país, esperam que todo o esforço desprendido para buscar uma maior atenção por parte do governo federal com o setor rural, venha ser recompensado com o atendimento das reivindicações que foram feitas em frente ao Congresso Nacional, contra a ilegalidade de uma cobrança. Digo ainda que o Sindicato Rural de Tupaciguara sempre estará marchando lado a lado com os produtores rurais na busca de uma solução para este impasse que, mais uma vez, vem para penalizar quem mais produz no Brasil e quem sempre foi o principal equilíbrio da economia brasileira. Não vamos desistir dos nossos anseios”, disse.

Veja mais sobre Agricultura e Pecuária [+ notícias]

Última Edição

Coluna Social

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia de Tupaciguara e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!